SOCRATIVE : E a influência nos alunos?

domingo, junho 25, 2017

Agora que já referi como fazer um questionário e as diferentes opções de como o aplicar, falta saber, para terminar, a perspetiva dos alunos.
Como vimos na publicação anterior, podemos aplicar o teste escolhido como se fosse:

  • uma ficha de avaliação convencional, em que os alunos respondem às questões que querem, pela ordem que querem, tendo a opção de alterar respostas enquanto não finalizam o teste, e não obtêm qualquer tipo de feedback quanto às respostas estarem corretas ou não;
  • uma corrida, com jogadores individuais ou em equipa, em que as equipas apenas "correm" quando acertam às perguntas;
  • uma atividade prática de sala de aula, em que os alunos resolvem os exercícios, tal como se estivessem a fazer exercícios selecionados do manual, e assim que enviam a resposta de certo problema obtêm logo o feedback sobre a resposta estar correta ou errada, em conjunto com uma explicação da resposta certa.

Na opção da ficha de avaliação, a vantagem que este software tem relativamente aos já usuais "testes", está no facto de o professor poder ir vendo as respostas dos alunos enquanto estes resolvem o questionário, tendo ainda acesso a um ficheiro excel, no final do teste, com as respostas corretas e incorretas dos alunos, o que poderá tornar o processo de correção do teste mais rápido. A influência desta opção nos alunos, passa pela utilização dos tablets em sala de aula, mas não trará muitas diferenças relativamente às fichas de avaliação convencionais.

Na opção de corrida, os alunos ficam entusiasmados pela competição com os colegas, o que pode fazer com que eles estejam mais motivados para participar na atividade. Mas o professor deve ter cuidado e observar bem a turma em que vai aplicar esta atividade, pois os alunos mais fracos podem reagir de modo contrário ao esperado, ficando ainda mais desmotivados por não conseguirem entrar na competição, devido às dificuldades que têm.

Quanto à atividade prática, fazê-lo com recurso ao Socrative traz uma maior liberdade ao professor, no sentido de não ter os alunos sempre a chamá-lo para ver se a resposta está correta, ou para perguntar onde está o erro. Como os alunos, após enviarem a resposta de uma pergunta, obtêm diretamente a resposta correta e ainda uma explicação, muitos deles já não sentem a necessidade de chamar o professor pois ficam esclarecidos pelo feedback instantâneo do software e, só quando isso não é suficiente, é que têm de chamar o professor para lhes explicar de outra forma. No que toca aos alunos, eles ficam mais motivados a resolver todas as questões propostas, e sentem uma maior necessidade de concluir a atividade no horário da aula. Quando se propõe um conjunto de exercícios do manual, muitos alunos fazem poucos exercícios, desleixam-se no tempo e ainda se distraem com brincadeiras. Recorrendo ao Socrative, os alunos envolvem-se mais na tarefa e, mesmo após o toque de final de aula, há alunos que só saem da sala quando conseguem terminar a tarefa, algo que não costuma acontecer com atividades do manual. Além disto, o professor tem a capacidade de controlar o ritmo dos alunos.


Publicação escrita para o projeto de avaliação da UC "Tecnologia Educativa"

0 comentários

Seguidores